plano de contingência

Plano de contingência: entenda o que é e qual a importância

Nós, enquanto pessoas físicas, estamos expostos a riscos a todo momento, desde o instante em que acordamos pela manhã até finalmente dormimos à noite. Será que um plano de contingência ajudaria a diminuir os riscos?

E por mais que seja impossível eliminá-los, fazemos o possível para evitá-los. Funciona de modo similar com as pessoas jurídicas, que estão suscetíveis a determinados perigos e tomam atitudes para minimizá-los.

E o que fazer quando as coisas saem de controle? Nessas horas, é possível acionar o chamado plano de contingência, quando ele existe. Se você quer saber mais sobre o assunto e qual a importância dele, acompanhe este post. Boa leitura!

O que são riscos e como eles são geridos?

A definição do que é um plano de contingência passa por entender o que são os riscos e como eles são geridos. Por isso, vamos antes entender esses conceitos.

A ideia de risco está ligada à chance de que alguma coisa dê errado em decorrência de algo incerto e que foge do controle de quem está no comando. Quem dirige um carro, por exemplo, está sujeito ao risco de ter um problema no motor, ao qual ele não tem muita capacidade para intervir sobre quando e se realmente ocorrerá.

Todavia, partindo do pressuposto de que é impossível saber em que momento tal risco deixará de ser apenas uma possibilidade é que é feita a gestão de riscos. Por meio delas são tomadas atitudes que buscam reduzir as chances de que algo fora do esperado aconteça. No caso do carro, podem ser feitas revisões periódicas para evitar os temidos problemas no motor.

O que é e como funciona um plano de contingência?

Mas onde um plano de contingência se encaixa na gestão de riscos? É simples: por mais cuidados que sejam tomados, eventualmente um risco se concretizará, trazendo problemas. Com um plano de contingência elaborado, será possível agir para contornar a situação e minimizar os danos.

Dessa forma, um plano de contingência é composto por uma série de procedimentos a serem seguidos para que as respostas corretas sejam implementadas diante do problema e, assim, a atividade interrompida seja retomada de forma segura e com o menor prejuízo possível.

Além de evitar prejuízos financeiros e materiais, um plano de contingência protege e ajuda que as pessoas fiquem calmas em situações em que elas estejam expostas ao problema. Por isso é tão importante que esse planejamento preveja treinamentos para que todos saibam como responder nesses momentos de dificuldades.

Como desenvolver um plano de contingência?

Embora seja importante, o treinamento do plano de contingência é apenas uma das etapas finais do seu processo de elaboração.

Até chegar lá é necessário identificar os riscos, determinar quais serão as prioridades na gestão deles, definir quais as estratégias de recuperação serão adotadas, preparar um documento com todas as informações pertinentes e desenvolver procedimentos padrão, para só então sejam testados e implementados em caso de boas respostas em todos os estágios.

A existência ou não de um plano de contingência dependerá, principalmente, da natureza da atividade desenvolvida pela empresa, já que aquelas com atividades consideradas mais arriscadas são obrigadas por lei a terem esse tipo de planejamento.

De qualquer forma, sendo ou não obrigatório, estar preparado para lidar com os riscos deve fazer parte do modo de atuar de qualquer negócio.

Além do plano de contingência, existem outros pontos muito importante para o sucesso de uma empresa, como o planejamento financeiro. Por isso, não deixe de ler também sobre esse tema em nosso blog!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.