desconto de duplicata

Desconto de duplicata: entenda o que é e como funciona

Não são raras as vezes que empresas precisam ter acesso a recursos para financiar sua operação ou mesmo para rolar dívidas. A grande questão é que nem sempre o acesso a esse capital é fácil. Nesse contexto, ter o desconto de duplicata pode ser uma boa opção.

O documento, que deve ser emitido junto à Nota Fiscal, é uma espécie de comprovante utilizado para registrar que uma operação comercial, compra ou venda foi realizada. Basicamente, esse documento registra o compromisso do comprador de pagar, em uma determinada data, uma quantia previamente estipulada ao vendedor.

Embora o pagamento de duplicatas deva ser feito em uma data futura, o empresário pode usar o documento para receber os recursos de que precisa, financiando sua empresa. Gostaria de saber como isso ocorre? Leia o artigo e entenda como funciona essa operação!

Como funciona o desconto de duplicata?

Diferente do que muitas pessoas acreditam, uma duplicata não é exatamente um título de cobrança, pois o seu objetivo é registrar uma operação de crédito. Na prática, o documento comprova que o empresário tem recursos a receber em uma data futura, o que pode ser usado como uma garantia, para que a empresa apure um empréstimo.

Ou seja, por meio do desconto de duplicata, o empresário pode adiantar, com uma instituição financeira, recursos que ele tem a receber. É interessante ressaltar que essa operação pode ser feita de três maneiras diferentes, continue a leitura e conheça cada uma delas.

Cobrança simples

Como o próprio nome sugere, a cobrança simples é a modalidade mais simples do desconto de duplicata. Ela consiste, basicamente, na apresentação do documento, por parte do empresário, para uma instituição financeira responsável por adiantar o capital para ele.

Caso o cliente da empresa não honre seu compromisso, a instituição financeira descontará o valor da empresa que recebeu o adiantamento de capital.

Cobrança caucionada

Nesse tipo de desconto de duplicata, os documentos são entregues à instituição financeira como uma garantia, a caução. Essa modalidade permite que o empresário receba um determinado valor percentual das duplicatas como crédito para financiar sua operação.

  • endosso por mandado: nesse caso a instituição financeira é responsável unicamente por cobrar o devedor;
  • endosso translativo: toda a operação de crédito fica por conta da instituição financeira.

Quais os custos dessa operação?

Como foi dito, o desconto de duplicata é uma operação de crédito, o que significa que ela tem custos. Entre eles, podemos citar os seguintes:

  • imposto sobre operações financeiras (IOF);
  • taxa de descontos (juros mensais sobre o documento até que seja quitado);
  • taxa administrativa (quantia necessária para administrar a operação de crédito).

Quais as vantagens do desconto de duplicata?

Quando pensamos nos benefícios do desconto de duplicata, podemos dizer que os mais efetivos estão ligados ao acesso rápido a recursos que esse tipo de empréstimo fornece para os empresários, o que abre espaço para que complementem seu capital de giro.

Além disso, esse empréstimo costuma ter taxas mais amigáveis, o que reduz seu impacto sobre o caixa da empresa.

Agora que você sabe como funciona o desconto de duplicata, compartilhe o artigo em suas redes sociais e permita que mais pessoas descubram essas informações!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.